Imagem
A prefeitura de Salto do Jacuí, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul, anunciou nesta quarta-feira (21) uma série de medidas para cortar gastos e tentar reduzir a dívida do município, estimada em R$ 8 milhões. Entre as atitudes tomadas pelo prefeito Atenir Silva está a suspensão do fornecimento de café e erva-mate para as repartições. Além disso, a prefeitura diminuiu o número de secretários, cargos de confiança e funções gratificadas.

Dos nove secretários, apenas três vão permanecer nos cargos, nas pastas de Saúde, Educação e Assistência Social. Também foram extintos 80% dos cargos de confiança e 10% das funções gratificadas. O prefeito anunciou ainda mais rigor no controle de viagens, ligações telefônicas e uso de carros oficiais.

A Lei de Responsabilidade Fiscal indica que os municípios podem gastar até 54% com despesas do funcionalismo. Atualmente, a folha de pagamento dos servidores de Salto do Jacuí representa 60% da arrecadação municipal, que é de R$ 2 milhões. “Essas medidas adotadas no dia de hoje (quarta-feira) são exatamente para nós cumprirmos uma lei. Hoje, a prefeitura estaria trabalhando somente para pagar a folha de funcionários”, afirma o prefeito.

Conforme o levantamento da Federação das Associações de Municípios do Rio Grande do Sul (Famurs), 95% dos municípios gaúchos estão com as contas no vermelho. “A gente fica muito triste, mas a gente pede que o povo entenda. É uma medida que tem de ser adotada, não é por que o prefeito quer”, explica Atenir Silva.
Assista a matéria:

 
 
 Imagem
Apresentado pela revista Veja como a “voz que emergiu das ruas”, Maycon Freitas coleciona pérolas que provocam vergonha alheia até nos mais calejados. Em vídeo, jovem dispara: “Eu trabalho na Globo. É o melhor trabalho do mundo”

Maycon Freitas, o entrevistado das Páginas Amarelas da Veja desta semana (veja aqui), como “representante” dos manifestantes da onda de protestos que tomou as ruas, presta serviços como dublê a Rede Globo de Televisão.



A Veja, é claro, nem se importou que Maycon tenha quase o dobro da idade da maioria dos manifestantes, mas o transformou num grande ativista cibernético.

Apresentado como “a voz que emergiu das ruas”, Maycon é exposto como líder de uma comunidade no Facebook , a União Contra a Corrupção, onde se publica ou republica coisas como essa imagem aí do lado, dizendo que os médicos cubanos (cadê?) são guerrilheiros disfarçados e que um golpe comunista está em marcha. É mentira, a página é mantida por Marcello Cristiano Reis, um advogado paulista.

Se tivesse ido olhar o perfil de Maycon no Facebook veria que, antes de virar “celebridade”, suas últimas postagens continham pérolas do tipo:

“Mulher que diz que homem é tudo igual. É porque nunca soube fazer a diferença na vida de um.”, ou

“No carnaval as mina pira , em novembro as mina ”pari”. “No carnaval os mano come, em novembro os mano some.”

Antes, em 2002, a vida estava boa para Maycon, como você pode ver nas fotos do líder de massas em Cancún, no México, num turismo “padrão FIFA” de deixar a gente com inveja. Como está sofrendo o revoltado Maycon!


Ah, essa internet…

Ah, essa Veja…

PS. Até de um mistificador como o Maycon a gente respeita a privacidade. Todas as fotos são públicas no seu Facebook, não necessitam de compartilhamento.

Vídeo. Assista Maycon Freitas em ação, a voz que emergiu das ruas:

 
 
 Imagem
Você já deve ter pelo menos escutado falar na PEC 37, não é? A PEC 37, ou Proposta de Emenda à Constituição nº 37, é um das maiores tentativas de atentado contra o regime democrático, a cidadania e o estado de direito, que começamos a lutar com tanto fervor nas últimas semanas.

Eliminando todas as palavras difícieis e trazendo para a nossa realidade, a PEC 37 pretende tirar o poder de investigação criminal dos Ministérios Públicos Estaduais e Federal, modificando a Constituição Brasileira. Na prática, se aprovada, a emenda praticamente inviabilizará investigações contra o crime organizado, desvio de verbas, corrupção, abusos cometidos por agentes do Estado e violação de direitos humanos.

A votação está marcada para o dia 26 de junho de 2013.

“Se aprovada, o pior pode acontecer, estamos na rota do fracasso histórico”, disse Arnaldo Jabor em uma matéria da Rádio CBN.


Mas o que o Ministério Publico faz mesmo?Dentre outras atribuições, o MP é responsável pela defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis.

Para você ter um exemplo próximo, lembram que no início do ano surgiram indícios de desvio de verba destinada a tragédias que ocorrem no Brasil? O Ministério Público criou um grupo de trabalho especial para investigar contratação de obras e serviços públicos sem licitação, a título de emergência.

Se a PEC for aprovada, isso não existirá mais!

Basicamente, a PEC 37 retira a possibilidade de que instituições como o Ministério Público, COAF, Receita Federal, Ibama, Previdência Social, Polícia Militar, entre outros órgãos do Estado, façam investigações criminais.

Para você ter uma ideia do absurdo, apenas três países em todo o mundo vedam a investigação do MP: Quênia, Indonésia e Uganda. A PEC enfraquece as instituições e desconsideram o interesse da sociedade e de cada cidadão, individualmente, que não teria a quem recorrer em caso de omissão da polícia.

Foi o Ministério Público, também, que pediu prisão temporária do ex-goleiro Bruno, do Flamengo, pela morte de Eliza Samudio, em 2010. O Ministério Público do Estado acatou pedido da Delegacia de Homicídios do Rio de Janeiro para a prisão.

O que fazer?Antes de mais nada, o intuito deste post é alertar. Em segundo, você ainda pode registrar sua indignação e ficar de olho nos deputados federais que podem ser a favor da impunidade.

Algumas enquetes e abaixo-assinados estão disponíveis na internet para que você mostre sua indignação. Não é necessário muito mais do que alguns dados pessoais e outros tantos cliques.

São elas:

- Enquete da Câmara – http://www2.camara.leg.br/agencia-app/votarEnquete/enquete/BDFB431E-E8E3-4398-8B7B-DAC0B6DE8F1C

- Ministério Público do Estado do Paraná –http://www.mp.pr.gov.br/modules/conteudo/conteudo.php?conteudo=4889

- Change.org – https://www.change.org/pt-BR/peti%C3%A7%C3%B5es/impunidade-n%C3%A3o-mp-com-poder-de-investiga%C3%A7%C3%A3o-n%C3%A3opec37

- Avaaz –http://www.avaaz.org/po/petition/Convencer_senadores_a_rejeitarem_a_PEC_372011_que_limita_o_poder_de_investigacao_do_Ministerio_Publico/?wTUCTeb

Compartilhe este post com seus amigos, peça apoio para que eles também conheçam este absurdo e participem das enquetes e abaixo-assinados contra a PEC.


 
 
 Imagem
A prefeitura de Araucária quase ultrapassou o limite de gastos com pessoal que, segundo a Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) não deve passar de 51,3% do total do orçamento do município. Agora o prefeito Olizandro Ferreira tem em mãos o desafio de fazer com que o executivo volte a se enquadrar no que exige a lei. Caso contrário, a cidade poderá pagar caro como, por exemplo, ter suas certidões bloqueadas e não receber mais recursos do Estado e da União. Além disso, o prefeito também pode responder por improbidade administrativa.

            Esta situação caótica e preocupante em que se encontra a prefeitura causa estranheza, principalmente se compararmos a folha de pagamento de Araucária com outras cidades. Para se ter uma ideia, em São José dos Pinhais apenas 38,7% do orçamento é gasto com despesa de pessoal, segundo o Tribunal de Contas do Estado do Paraná (dezembro/2012).

            Na última semana a prefeitura passou a disponibilizar no portal da transparência do seu site oficial o salário de todos os servidores municipais. O que consta lá são casos atípicos. Por exemplo, há um mecânico que recebeu em abril mais de R$ 11 mil. Em contrapartida uma médica pediatra recebeu pouco mais que R$ 6 mil.

            Se resgatarmos um pouco da história do município contatamos facilmente que o problema enfrentado hoje pelo prefeito Olizandro começou lá atrás. O ex prefeito Albanor José Ferreira Gomes, Zezé, que já passou três vezes pela prefeitura pode ser considerado o grande responsável pelo alto valor em que se encontra a despesa com pessoal, devido a concessão de altíssimos aumentos salariais e a contratação de muitos funcionários.

            No ano de 1989, no início do seu primeiro mandato, a prefeitura tinha 1.371 servidores. Em 1992, quando concluiu sua gestão, este número já era de 2.329 funcionários, ou seja, em menos de quatro anos foram 958 novas contratações. Além disso, somente no ano de 89 ele concedeu 14 reajustes salariais e em 90 foram mais 10 aumentos, quase um por mês, variando entre 10% a 84,32%.

            Na gestão Edvino Kampa (1993-1996) foram contratados 691 novos servidores e os aumentos também foram muitos, o mais alto foi de 45,64% concedido em 1994. Já na gestão do ex prefeito Rízio Wachowicz, foram contratados 126 funcionários públicos.

            Quando assumiu novamente o executivo, Zezé voltou a contratar servidores e somados os aumentos dos quatro anos, os salários foram ampliados em 61,17%. E foi justamente esta a gestão que mais onerou a folha de pagamento, pois os aumentos foram muito acima da inflação: 10% em 2002, 15% em 2003 e 18,58% em 2004. Além disso, mais de 1.300 pessoas foram admitidas, foi a maior contratação da história do município.

            Já entre 2005 e 2008, quando o atual prefeito Olizandro Ferreira passou pela prefeitura, o reajuste dos quatro anos não passou de 17,83%. Neste período foram 509 os novos contratados.

            No seu último mandato (2009-2012), mesmo sabendo que a folha de pagamento estava beirando o limite legal, Zezé voltou a conceder altos reajustes. Nos quatro anos o aumento salarial foi de 33,63% e 565 servidores foram contratados.

            O resultado de tudo isso é: 5.444 servidores 281 milhões gastos por ano com pagamento de funcionários públicos. Em contrapartida, a população reclama do atendimento recebido nos setores públicos. Em muitos locais, faltam profissionais para trabalhar, há falta de professores em sala de aula.

E, por falar em educação, apesar dos professores de Araucária serem um dos mais bem remunerados do estado, a cidade está entre os piores resultados do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica) e a fila de espera por uma vaga nos CMEIs (Centro de Educação Infantil) é muito extensa. Portanto, os serviços oferecidos pela prefeitura não correspondem a remuneração recebida pelos seus funcionários. 


 
 
 Imagem
Só faltava essa! A bruxa anda solta mesmo na prefeitura de Araucária. Se não bastasse o dinheiro disponível deixado pela gestão do Zezé ser de apenas R$ 12 Milhões, se não bastasse a redução de arrecadação, se não bastasse os cortes nos servidores públicos, agora fornecedores e prestadores de serviços para prefeitura ameaçam parar por falta de pagamento.

A coisa anda preta mesmo últimamente pois não sabe-se porque ou até sabe-se, o dinheiro simplesmente ACABOU... Araucária deixou de ser a 3ª cidade mais rica do Paraná, para ser uma cidade falída! Só falta algum instituto de pesquisa ou algum orgão de imprensa constatar o fato.  7 meses depois de eleito e 4 meses assumindo a prefeitura, Olizandro Ferreira só vê a coisa indo ladeira abaixo.

Alguns contratados da prefeitura de Araucária estão sem receber desde fevereiro e a piada do meio é que se alguém quiser se esconder do secretário de finanças Marco Antônio Ozório, é só ir pra prefeitura ou ligar pedindo pra falar com ele, pois nunca está lá ou está em reunião. 
Cortes acontessem em qualquer gestão, mas não pagar contratados?? Eu pessoalmente sempre trabalhei na iniciativa privada e sei melhor que ninguém que quando vc “compra” e não paga, é o fim da linha...
Só falta começar a sair nos meios de imprensa “não controlados” que umas das cidades mais ricas do Paraná, não honra seus contratos.

Ai eu pergunto: - O quanto essa situação é real ou está sendo administrada da forma errada?
Porque? Porque até onde eu e uma galera sabe, o Zezé tinha a certeza de que iria se reeleger. Mas ele deixaria esses problemas todos pra ele mesmo? “Há! O Zezé não deixou ter equipe de transição!”  Alguns vão argumentar...
Justo! É verdade. Mas é possivel falir uma prefeitura rica em apenas 3 meses? Seja lá como for que tudo esteja sendo feito, uma hora ou outra ficaremos sabendo de tudo da atual gestão como está acontecendo agora com a gestão passada do Zezé. 


 
 
 Imagem
Até o final de 2011 eu fui um mero espectador com relação a nossa política local e até de certa forma um eleitor mal informado sobre os políticos da nossa cidade. Por um motivo pessoal que já expliquei aqui,  fiz o POLITICA ARAUCARIA e acabei tento notoriedade e aprendendo muito sobre esse submundo.

Hoje, por dentro deste meio obscuro que é a política e sabendo da sujeira que rola nos bastidores mas que NÃO PODE SER DIVULGADO POR NÃO TER COMO PROVAR, flagrei um depoimento E X C L U S I VOOOOOO do vereador Esmael Padilha. Não, não é exclusivo... um monte de gente viu pois foi durante a sessão na câmara de vereadores Rsrsrsssss, mas garanto que ninguém se atinou no assunto, não percebendo que o nobre vereador assumiu publicamente que a MAIORIA dos CCS que estão na prefeitura estão lá por conta de trabalhar na campanha de Olizandro ou por conta de indicação dos 11 vereadores que "apoiam" o prefeito quando deveriam fiscalizar o poder executivo.

Ei eu te pergunto:  Araucária é a 3ª maior arrecadadora de impostos no Paraná, e você sabe porque a gente não cresce?? PORQUE UM BANDO DE SEM-VERGONHA COMPROMETE MAIS DE 50% DA NOSSA ARRECADAÇÃO COM O FUNCIONALISMO A FIM DE GARANTIR UMA FUTURA NOVA ELEIÇÃO.

Não entendeu? Funciona assim... A prefeitura hoje conta com aproximadamente 5.000 funcionários públicos de todos os gêneros. Compromete-se MUUUUUUITO DINHEIRO com o funcionalismo a fim de garantir votos, pois pode-se garantir até 15.000 votos com a prefeitura. Ou seja, FODA-SE o desenvolvimento, a saúde, a segurança, a educação e o escambau... Com 15.000 votos no bolso  (servidor+cônjuge e/ou familiar), mais uns 5.000 dos puxa-sacos e iludidos durante a campanha e os insatisfeitos  e mal informados (como eu fui), PREFEITURA NA CABEÇA!!!!!

Portanto, meu conselho pra vc ganhar acima de R$ 1.800,00 em Araucária é o seguinte:
Se aproxime o MÁXIMO possível de um político ou amigo de político, não faz mal se vc não tem estudo,  não tem experiência em trabalho nenhum ou mesmo não saiba fazer nada.  Se vc tiver a capacidade para se mostrar submisso e ser puxa-saco TA EMPREGADO OEEEEI!!!!



 
 
 Imagem
COMO SEMPRE FOI
Araucária se tornou uma das cidades mais ricas do Paraná, depois de 1982, quando a Petrobras começou a funcionar e pagar seus impostos. Cada prefeito administrou a cidade como quis, pois dinheiro nunca foi o problema. 

O QUE ACONTECEU DE VERDADE
Albanor Zezé foi prefeito por três vezes: 1989 a 2002, 2001 a 2004 e 2009 a 2012. Em seu último mandato, a Petrobras, além do que já paga normalmente, gerou 350 milhões de reais a mais em ISS – Imposto sobre Serviço – que foi pago pelas empreiteiras da obra da refinaria. Enquanto o dinheiro do ICMS – Imposto sobre Circulação de Mercadorias – vai para o estado e depois volta uma parcela para o município, o ISS entra direto no caixa da prefeitura, podendo ser usado a gosto do prefeito. Pois bem, o prefeito Albanor Zezé, ao invés de investir em obras e melhorar a cidade, contratou mais 1.300 funcionários, inchando a folha de pagamento em mais de 100 milhões de reais por ano, um acréscimo de 55%. Quando a prefeitura contrata mais funcionários, tudo aumenta, pois os mesmos precisam de lugar para trabalhar, telefone, material de escritório e outras coisas para desempenharem suas funções, com isso, hoje, quase todo o dinheiro que a cidade arrecada vai para pagar e manter os funcionários e os serviços que são atualmente prestados pela prefeitura.

LEI DE RESPONSABILIDADE FISCAL
Existe a Lei de Responsabilidade Fiscal, que foi criada para evitar desperdícios com dinheiro público. Esta Lei impõe um limite de 51,3% como máximo da arrecadação para poder gastar com funcionários. Em 2012, ainda contando com o dinheiro extra do ISS das empreiteiras da Petrobras, Albanor Zezé fechou seu mandato no limite da Lei. Como perdeu a eleição, seu sucessor, Olizandro Ferreira, recebeu a prefeitura com os funcionários a mais e a arrecadação a menos, resultado: não tem dinheiro para pagar a atual folha de pagamento da prefeitura.

O QUE A ATUAL ADMINISTRAÇÃO TERÁ QUE FAZER
A Lei de Responsabilidade Fiscal é clara em relação às punições que o prefeito sofre caso não cumpra: prisão de um a quatro anos; improbidade administrativa; perda dos direitos políticos, além de a cidade poderá perder convênios e repasses do governo do estado e governo federal. Para se adequar à Lei, o prefeito Olizandro terá que tomar medidas como: corte de 20% dos cargos em confianças, os CCs, corte de horas-extras, corte de Funções Gratificadas e até demissão de funcionários em estágio probatório.

E COMO VAI FICAR?
Se por um lado alguns poucos privilegiados poderão perder um pouco do seu salário e alguns cargos políticos ficarão desempregados, por outro, está nas mãos de Olizandro dar um choque de gestão em uma cidade que nunca soube administrar seu dinheiro. Para se ter uma ideia, Campo Largo, com a mesma quantidade de habitantes, vai arrecadar em 2013 R$ 155 milhões no total, enquanto Araucária, com os devidos cortes realizados, vai gastar quase R$ 300 milhões só com pagamento de funcionários. Realmente esta situação não duraria para sempre. O sonho de alguns acabou para agora o sonho da maioria se tornará realidade: uma cidade digna de sua arrecadação, uma cidade organizada, com ótimos serviços, obras e tudo a população sempre mereceu. 

Dinorah Dias

 
 
 Imagem
A Prefeitura de Araucária quer saber o que a população acredita ser prioridade para melhorar nos bairros. Por isso, já está no site (www.araucaria.pr.gov.br) e no facebook (www.facebook.com/araucaria.pr) um questionário que pode ser respondido por todos os moradores que quiserem participar.
Basta clicar no banner “A voz e a vez dos bairros” para acessar o link
 ou clicar diretamente -> AQUI

São 12 itens: educação, saúde, assistência social, área de lazer (parques e praças), esporte (canchas e quadras), iluminação pública, limpeza das ruas (varrição), manutenção das ruas (pavimento e antipó), rede de esgoto, coleta de lixo, segurança e transporte coletivo. Para cada item, a pessoa deve responder “qual a prioridade de investimentos no seu bairro?”.

A escala vai de 1 a 5, sendo 1 para o item de menor prioridade e 5 para o de maior prioridade. Para participar é necessário preencher alguns dados de identificação e de contato, além do bairro onde mora. No questionário há também um espaço para sugestões. Depois de se identificar e de elencar as prioridades, basta clicar em submit (enviar).

PPA

O questionário estará disponível até o dia 24 de maio. Depois, todos os dados serão tabulados e encaminhados para as secretarias da Prefeitura e serão usados para auxiliar na elaboração do Plano Plurianual (PPA), que contempla os objetivos e as metas da administração municipal para um período de quatros anos (2014 a 2017).

O PPA deve contemplar as ações definidas no plano de governo e deve estar vinculado aos 8 Objetivos do Milênio, que foram estabelecidos pela Organização das Nações Unidas (ONU), em 2000 (www.objetivosdomilenio.org.br).

Por isso, após avaliar as prioridades e sugestões da população, a Prefeitura vai entrar em contato com os moradores (por e-mail ou telefone, conforme indicado no questionário) para informar sobre as solicitações e se as mesmas já estão contempladas no plano de governo. Depois, também serão realizadas audiências públicas.

A elaboração do PPA será acompanhada pelo Departamento Observatório de Ações e Metas da Secretaria de Governo e pelo Departamento de Gestão Orçamentária da Secretaria de Planejamento. De acordo com a diretora do Departamento Observatório, Ivana Chemello Opis, a ideia atende a um pedido da administração municipal. “O prefeito Olizandro tem solicitado que a população participe mais da gestão”, comenta.

Curso

De segunda a quarta-feira da próxima semana (15 a 17), secretários municipais, diretores gerais, servidores dos Núcleos Administrativos e Financeiros (NAFs) de cada secretaria, presidentes das companhias, presidente da Câmara, presidente do Fundo de Previdência e comandante do Corpo de Bombeiros (2º GB/6º GB) vão participar de um curso na Escola de Gestão Pública dos Servidores.

Ministrado pelas Secretarias de Governo e Planejamento, o objetivo do curso é orientar a elaboração do PPA, pois o documento precisa atender às normas do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), da Constituição Federal, da Lei de Responsabilidade Fiscal e da Lei Federal nº 4320/1964 (Lei do Orçamento).

Depois de elaborar o PPA, é por meio da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) que são definidas as diretrizes para o cumprimento do PPA e, por fim, é elaborada a Lei Orçamentária Anual (LOA), que estima as receitas e fixa as despesas para o período de um ano. Todos os documentos são encaminhados para a aprovação dos vereadores da Câmara Municipal, sendo que o PPA e a LDO serão enviados até 15 de julho e a LOA será entregue no final do ano.Patrícia Comunelo


 
 
 Imagem
O prefeito de Araucária, Olizandro Ferreira (PMDB), é acusado por moradores de fechar uma estrada rural do município para benefício próprio. A estrada cortava duas propriedades suas e teria sido fechada em 2006. Na época, Olizandro estava em seu primeiro mandato como prefeito da cidade, na Região Metropolitana de Curitiba. Ele foi eleito novamente no ano passado.

Segundo moradores da região do Botiatuva, a estrada existia pelo menos desde os anos 1950. Um mapa de 2006, registrado em cartório e no qual consta uma assinatura em nome do próprio Olizandro e por outros proprietários de terras da região, indica a existência da via. O mapa é da época em que o prefeito comprou a segunda propriedade. Ele era dono de uma fazenda de um dos lados da estrada e comprou a propriedade que ficava na frente. Depois disso, teria fechado a estrada e unificado as duas áreas. O único acesso, agora, é por uma via ao redor das terras de Olizandro, mais longo.



Problemas

O técnico agrônomo Edson Kupka, que mora em uma propriedade ao lado da área de Olizandro, relata que a ausência da estrada causa problemas para ele e para outros vizinhos. Um dos problemas é a falta de água. Para ligar sua propriedade com a rede de abastecimento da Sanepar, seria necessário contornar as propriedades de Olizandro – o que triplica o custo. Ele conta ter tentado furar um poço artesiano para solucionar o problema. Mas a empreitada não deu certo – gerando um prejuízo de mais de R$ 20 mil.

Kupka diz já ter conversado com o prefeito sobre o assunto, mas conta que suas reivindicações nunca foram atendidas. Ele também afirma ter procurado secretários da antiga gestão municipal – igualmente sem sucesso. Na semana passada, o morador entrou com uma representação na Secretaria Municipal de Obras pedindo a reabertura da estrada.

Cláudio Wolski, proprietário de uma plantação de eucaliptos na região, reclama que, sem a estrada, há dificuldades para transportar sua carga. Ele diz já ter procurado a Justiça, mas ainda não houve nenhuma decisão.

O trecho fechado da estrada, segundo os moradores, atualmente não existe mais. Uma parte dela é usada como ligação entre a sede da fazenda de Olizandro e a estrada principal. A outra saída teria sido destruída. Caso ela fosse reaberta como via pública, a estrada teria também de ser reconstruída.

Outro lado
Olizandro diz que não havia estrada quando comprou a área

O prefeito de Araucária, Olizandro Ferreira (PMDB) nega as acusações feitas pelos vizinhos. De acordo com ele, a estrada não existia em 1998, quando ele comprou a primeira propriedade. O prefeito alega que a via que liga a sede da fazenda e a estrada principal foi construída por ele próprio. Olizandro diz ainda que construiu a estrada que contorna suas fazendas depois do término de seu mandato, por reivindicação dos vizinhos.

Após ter dado essa entrevista, a Gazeta teve acesso ao documento original, no registro de imóveis, em que consta uma assinatura como sendo de Olizandro num mapa indicando a existência da estrada. A reportagem então voltou a procurar o prefeito para esclarecer o fato. Deixou recado no gabinete. Mas não recebeu retorno até o fechamento desta edição.

Obras para água

Antes disso, porém, na entrevista à Gazeta, Olizandro disse que a ligação de água para os vizinhos não foi feita por omissão de outros dirigentes municipais. E garantiu que prefeitura deve começar as obras para levar água à região em cerca de 20 dias. “Eles acham que a água não chegava lá porque não tem essa rua. Não é verdade. A água não chega porque a prefeitura não tinha disposição de fazer, até porque eu moro na região.” Olizandro disse ainda que as acusações tem motivação política.


Fonte: Gazeta do Povo










 
 
Muitas vezes eu já me perguntei o porque da maioria dos cidadãos considera políticos e a política uma nojeira. E quando eu me deparo com uma relação de nomes e números como está, eu entendo o porque. Certos absurdos cometidos pelos gestores públicos, chega aos meados do RIDÍCULO quando se trata do dinheiro público. 

Em Araucária podemos ver de perto como nossos impostos são tratados,  eu nem vou entrar no mérito dos benefícios de funcionários concursados pois uma vez o benefício adquirido, não pode ser retirado.
Vamos falar somente dos nomeados e olhar de perto essa relação de gastos da câmara municipal para tentar entender como, COMO um assessor pode ganhar mais que um vereador.
Na prática, colocando a mesma situação na iniciativa privada, é como o funcionário ganhar mais que o patrão. Acreditem, de todos os funcionários da câmara, nomeados ou concursados, o salário de vereador é um dos menores. 

Isso está errado? Não! Acho que R$ 5.992,00 é um valor até razoável para um cargo em que se deve produzir benefícios para o município e fiscalizar o poder executivo, inclusive com relação a gastos.
Mas como esperar que o "meu funcionário público" zele pelo dinheiro dos meus impostos, se ele mesmo abusa do direito de gastar, nomeando assessores para ganhar até mais que o seu próprio salário?
O que justificaria isso? Qual seria o argumento PLAUSÍVEL que embasaria o ato de um vereador ganhar R$ 5.992,00 e seu assessor, seu funcionário ganhar R$ 6.675,81 e até R$ 7.853,91 se for chefe de gabinete.
Claro que todos vão colocar a culpa no sistema, tipo a história dos macaquinhos na jaula: "quando eu cheguei já era assim". Mas porque não há o interesse de mudar isso? Será verdade a tal lenda que rodeia a câmara de vereadores de que "seu salário é de R$ 6.000,00 mas você devolve R$ 4.000,00 pra mim". Isso sem contar a outra lenda que surgiu este ano com a gratificação do prefeito com 5 CCs na prefeitura para cada vereador de oposição.

Enfim, vejam os números e principalmente os nomes, tirem suas conclusões e por favor DIVULGUEM ISSO O MÁXIMO POSSÍVEL até que o fedor seja tão grande na câmara de vereadores de Araucária, que a única saída seja uma LIMPEZA TOTAL!!!!!

(fonte de dados: Câmara Municipal de Araucária)